Nokia 5530 é touch básico, mas nem tanto

Celular musical tem interface divertida e Wi-Fi, porém dispensa 3G e GPS

• 9 de dezembro de 2009
Foto: Marcelo Kura
Avaliação
7.8 /10
699.00 reais
[an error occurred while processing this directive]

nossa avaliação

prós Tem Wi-Fi, bons recursos para música e reconhecimento de escrita competente
contras O aparelho tem bateria que dura pouco e fica devendo 3G e GPS
conclusão Celular touchscreen com Wi-Fi básico e divertido, mas que precisa de ajustes na interface

ficha técnica

  • EDGE
  • Wi-Fi
  • Symbian S60
  • 4 GB (microSD)
  • tela de 2,9"
  • 3,2 MP
  • 106 g
  • Duração da bateria: 262 minutos (voz)
A nova geração touchscreen da Nokia chegou aos celulares básicos com o 5530 XpressMusic. E o aparelho vai além daqueles concorrentes divertidos com tela sensível ao toque, mas quase sem recursos. Ele manda bem como substituto de iPod, tem o melhor reconhecimento de escrita que já vimos e pode se conectar à internet por Wi-Fi. Só decepciona porque o touchscreen resistivo de 2,9 polegadas não é aquela maravilha para deslizar com o dedo e por ficar devendo 3G e GPS. Seu preço está na média: 699 reais.

Como já dissemos em vários reviews de aparelhos com Symbian, está claro que o sistema operacional precisa de uma recauchutada, pois não parece ter sido desenvolvido especialmente para comandar sem botões. Mas aqui o programa funciona bem. A tela inicial mostra, na barra superior, até 20 contatos com fotos. No centro, ficam as atualizações do e-mail e um player de música. Na parte de baixo, existem quatro atalhos personalizáveis para aplicações, que dão acesso rápido às ferramentas mais utilizadas.

O problema é que nenhum desses widgets é realmente prático, por causa da programação em camadas do Symbian. Para trocar os atalhos, por exemplo, é necessário entrar em Menu > Configurações > Pessoal > Tela inicial > Atalhos. Em seu concorrente Samsung Star, basta arrastar o aplicativo desejado de uma barra lateral para a tela inicial. No entanto, a coisa mais irritante é a necessidade de clicar duas vezes nos links das listas – uma para selecionar e outra para abrir o item desejado. E tudo isso no velho esquema com barras de rolagem, seguindo o estilo do Windows Mobile.

Existem ainda outros recursos interessantes, mas chatos de configurar. Para integrar um contato ao Twitter, por exemplo, é preciso digitar o longo endereço do RSS correspondente na página de configuração da pessoa cadastrada. Imagine o trabalho que daria fazer isso com toda a sua lista de amigos. Detalhe: nesse caso, especificamente, o teclado completo não aparece, obrigando o usuário a escrever por um teclado numérico. Em quase todos os outros aplicativos, como e-mail e navegador, um QWERTY fica disponível quando o aparelho está na horizontal.

Jeitão de frágil
Um celular para curtir


Guia de compras

///

Reviews relacionados

///

Celulares

Celular dual-sim da Samsung custa R$ 400

02/05/2011

Quad-band, modelo Ch@t 322 tem qwerty físico; faltou Wi-Fi

Review completo »
6.9/10
399.00 reais

Comentários

///
10 Impecável. O produto é perfeito. Não há nada a ser melhorado.
9,0 - 9,9 Ótimo. Qualidade excepcional. É difícil, mas não impossível, aperfeiçoar alguma coisa.
8,0 - 8,9 Muito bom. Satisfaz as necessidades do usuário e é bastante superior à média do mercado.
7,0 - 7,9 Bom. Atende bem às necessidades do usuário, embora tenha alguns pontos fracos.
6,0 - 6,9 Médio. Seus pontos fortes superam as falhas e ele atende à maioria das necessidades.
5,0 - 5,9 Regular. Pode ser uma solução satisfatória para alguns usuários.
4,0 - 4,9 Fraco. Embora possa ser útil em algumas situações, o produto tem problemas substantivos.
3,0 - 3,9 Muito Fraco, As falhas são graves, anulando os eventuais pontos fortes.
2,0 - 2,9 Ruim. Não há atrativos a destacar; só pontos fracos.
1,0 - 1,9 Bomba. O produto é tão ruim que é difícil achar utilidade para ele.
0 - 0,9 Lixo. Você não deve aceitar esse produto nem de graça.

Últimas do gadgets

///