Quem é Priscilla Chan, a esposa de Mark Zuckerberg

Por Luciana Carvalho, de Exame.com
• segunda, 21 de maio de 2012
Reprodução
Priscilla e seu novo marido, no dia do casamento

São Paulo – Uma conversa na fila do banheiro em uma festa da fraternidade Alpha Epsilon Pi, em Harvard, foi o pontapé inicial para o relacionamento entre Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, e Priscilla Chan, médica recém-formada pela University of California, em São Francisco.

Em uma entrevista à revista New Yorker, em 2010, a descendente de chineses disse que, naquele dia de 2003, percebeu que ele era um cara nerd e um pouco excêntrico.

No último sábado, nove anos depois, os dois se casaram em uma cerimônia para menos de 100 convidados. Segundo a agência AP, até os amigos mais próximos foram pegos de surpresa, pois acharam que a festa era para comemorar a formatura de Priscilla, que havia ocorrido no dia 14 de maio, também aniversário de Zuckerberg.

Eles dizem que o fato de o casamento ter sido realizado no dia seguinte à abertura de capital do Facebook foi mera coincidência e que a união já estava sendo planejada havia meses. A única coisa que esperavam era a formatura da noiva.

Depois de se formar biologia em Harvard, entre 2003 e 2007, a moça de 27 anos foi professora de ciências para alunos do quarto e quinto anos, em uma escola em San Jose, e, em 2008, começou outra graduação para se tornar pediatra. Caminhando ao lado de Zuckerberg desde os primórdios da rede social, Priscilla foi ignorada no filme “A Rede Social” (2010), que mostrou um protagonista solitário, quase incapaz de manter um relacionamento sério.

aa

A vida real parece um pouco diferente. Os dois moram juntos desde setembro de 2010 e criam um cachorro branco da raça Puli chamado “Beast”, que tem até perfil no Facebook. De acordo com o Daily Mail, antes de morarem na mesma casa, a relação dos dois também tinha regras estipuladas por ela, para que o trabalho não invadisse a rotina do casal. Entre as exigências, estava pelo menos uma noite por semana para namorar.

Em 2005, um breve trecho citando Priscilla em uma matéria no jornal do campus de Harvard dá a entender que ela teria sido convidada por Zuckerberg para trabalhar no Facebook.

No fim das contas, a influência mais efetiva que teve sobre a empresa do atual marido foi na concepção de uma ferramenta que permite mostrar na linha do tempo do usuário para quais organizações ele faz doações.

Apesar de não trabalhar no Facebook, ela também aparenta ser bastante ligada à rede criada pelo marido. Em uma série de perguntas respondidas em seu perfil, Priscilla disse que ficou sabendo da morte de Osama Bin Laden pela rede social, e que, todos os dias, antes de checar seu e-mail, ela abre seu perfil no Facebook.

Ela ainda se declara viciada em celular, pois não consegue largar o aparelho nem por cinco segundos.

Comentários

///