MSN, o Live Messenger, completa 10 anos

Por Juliano Barreto, da INFO
• quinta, 23 de julho de 2009

SÃO PAULO – Microsoft comemora décimo aniversário do Live Messenger com site especial que relembra história do programa.

Com um começo tímido, em junho de 1999, o mensageiro instantâneo estreou com o objetivo de fazer frente ao sucesso do AIM, da AOL, e do programa de chat do Yahoo!.

Uma década depois, e com vários números impressionantes, a Microsoft ainda não alcançou os rivais nos Estados Unidos. Mas no resto do mundo, a história é diferente.

Dois meses depois do seu lançamento, ainda em 1999, o Messenger contava com 2,5 milhões de usuários registrados. Hoje, já são mais de 330 milhões de pessoas usam o comunicador mensalmente para trocar 9,4 bilhões de mensagens por dia, de acordo com o site comemorativo pelo aniversário do Messenger.

No Brasil, o Live Messenger é a opção mais popular de bate-papo, com mais de 70% dos usuários e superando com folgas a soma da audiência de todos os concorrentes, de acordo com medições do Instituto EQO.

O programa que começou apenas como ferramenta para trocar mensagens de texto, atualmente é capaz de fazer videoconferências, tem integração com o videogame Xbox 360 e versões para diferentes sistemas operacionais, incluindo versões para celular.

 

Desde 2000, o Messenger também é capaz de fazer chamadas de voz via internet entre seus usuários. No decorrer dos anos, foram adicionadas funções como games multijogador e transferências de fotos e de arquivos. Outra implementação importante veio com as barras de anúncios, que transformam a popularidade do serviço em lucro.

Em junho de 2006, o programa mudou de nome, adotando o Live no lugar do MSN, assim como todos os outros serviços on-line da Microsoft. Mudança essa que ainda causa confusão dos usuários, que persistem em chamar o serviço de apenas MSN.

A exemplo do Internet Explorer, o Messenger já vem instalado no Windows o que confere ao programa uma grande vantagem sobre qualquer outro concorrente. No ramo das mensagens instantâneas, o pioneiro ICQ, mais tarde comprado pela AOL,  foi soterrado pela parceria MSN Messenger e Windows.

Comentários

///