Mega, o novo Megaupload, começa a funcionar

Por Fabiano Candido, de INFO Online
• sábado, 19 de janeiro de 2013
Reprodução
Acima, interface do Mega: serviço oferece gratuitamente 50 GB de espaço na nuvem

São Paulo – “Em poucos anos, o Megaupload voltará ao ar”. A promessa, feita no início de 2012 pelo fundador do serviço de compartilhamento de arquivos Kim Dotcom, foi cumprida antes do previsto.

Na tarde deste sábado, Dotcom colocou no ar o Mega, seu novo produto para hospedagem de arquivos na nuvem. O lançamento aconteceu antes mesmo do anúncio oficial, que será realizado na mansão do empresário em Auckland, Nova Zelândia, na madrugada deste domingo.

O diretor de arte da INFO, Rafael Costa, acompanha em Auckland a apresentação feita por Dotcom. Uma sessão de fotos na casa do criador do serviço Megaupload e uma entrevista exclusiva com Kim Dotcom serão publicadas na INFO de fevereiro, única publicação brasileira a acompanhar a estreia do Mega na Nova Zelândia.

O serviço é acessível no endereço http://mega.co.nz/. Como antecipado por Kim Dotcom no Twitter, seu grande diferencial em relação ao Megaupload é o sistema de criptografia. O recurso ‘tranca’ os dados que o usuário armazena no serviço. Desse modo, só o próprio usuário terá uma chave para abri-lo.

Dotcom, portanto, pode dizer que não consegue saber se o arquivo armazenado é um vídeo com conteúdo protegido ou uma música com copyright. E, mesmo que a justiça americana o obrigue a entregar os dados, ele entregará arquivos criptografados, sem muita utilidade para quem não detém a chave de abertura do arquivo, que ficará nas mãos apenas de quem postou o arquivo.

Com a tecnologia, acredita Dotcom, juízes não poderão processá-lo por armazenar dados piratas ou participar de quadrilhas especializadas em pirataria. No passado, juízes americanos usaram arquivos hospedados no Megaupload para sustentar as acusações de pirataria que levaram ao fim do serviço.

Bastante espaço – O Mega oferece gratuitamente para seus usuários 50 GB. O tamanho é bem superior ao oferecido pelos concorrentes de maior sucesso, como o Google Drive e o Dropbox (que oferecem, respectivamente, 5 GB e 2 GB de espaço de armazenamento).

Mas quem precisar de mais espaço, pode optar por um dos serviços pagos, que custam entre 10 e 30 euros mensais (veja tabela abaixo). Os preços são mais em conta que os concorrentes. Dotcom não esconde o motivo para cobrar mais barato: ele quer retomar a liderança no mercado de serviços de armazenamento em pouco tempo.

Planos 500 GB 2 TB 4TB
       
Valor mensal 10 euros 20 euros 30 euros
Valor anual 100 euros 200 euros 300 euros
Limite de tráfego * 1 TB 4 TB 8 TB

* É a quantidade de dados que o usuário pode trocar com o serviço durante um mês nas operações de download e upload de arquivos 

Filmes – Kim Dotcom fez o anúncio do início da operação do Mega no Twitter, com uma provocação ao governo americano. Ele escreveu: “Neste minuto, há um ano, Megaupload foi destruído pelo governo americano. Seja bem-vindo Mega.co.nz”. Mas ela não foi a única.

Instantes depois, ele publicou um tuíte direcionado à Motion Picture Association of America, entidade que cuida dos interesses dos estúdios de filmes dos Estados Unidos. Na mensagem, ele disse: “Olhe isso @MPAA. Vamos conversar! pic.twitter.com/9oM2C152”. O link direciona o usuário para uma imagem que exibe um serviço de filmes chamado Megamovie. O empresário tem um ressentimento com a entidade porque ela defende a prisão dele e apoiou o fim do Megaupoad.

Dotcom não revelou mais detalhes, mas tudo indica que o serviço pode ser uma espécie de concorrente do Netflix. O mistério pode ser resolvido neste domingo – quando Dotcom fala ao mundo sobre o Mega e seus projetos futuros.

Comentários

///
+Comentadas
+Lidas
Últimas

Últimos downloads

///