Fundação católica lança rede social cristã

Por EFE
• quinta, 20 de setembro de 2012

Cidade do Vaticano - A Fundação para a Evangelização através da Mídia (FEM) apresentou nesta quinta-feira em Roma a rede social católica Aleteia (a verdade, em grego), com o objetivo de ampliar o diálogo entre cristãos, seguidores de todas as religiões e não crentes, disse seu presidente, Jesús Colina.

O espanhol explicou que atualmente 2 bilhões de pessoas estão conectados à internet e que, a cada mês, cerca de 55 milhões de buscas no Google se referem a Deus, 25 milhões a Jesus, 37 milhões à Igreja e 17 milhões à palavra "amor".

"Para oferecer respostas profundas a esses temas, nasce a "Aleteia", a rede social para que os buscadores da verdade possam compartilhar e dialogar sobre temas relativos a fé, vida e sociedade", definiu.

Colina descreveu que a "Aleteia" oferecerá as melhores publicações de instituições e veículos de comunicação católicos de todo o mundo, e que a rede foi criada "como resposta" à demanda de Bento XVI para uma nova evangelização no mundo digital.

O diretor da "Aleteia" disse que não é um "Facebook católico" e também não pertence ao Vaticano, embora tenha reconhecido que contam com o patrocínio dos Conselhos Pontifícios para as Comunicações Sociais e para a Promoção da Nova Evangelização.

Até o momento, a rede já conta com mais de 1.040 membros, como sites de internet, rádios e televisões católicas de todo o mundo.

Jesús Colina acrescentou que a rede ainda oferece a todos esses sites uma série de serviços que vão desde a criação de conteúdos até a possibilidade de obter benefícios econômicos.

"Trata-se - ressaltou - de uma ocasião formidável para a Igreja ampliar o diálogo com católicos, cristãos, seguidores de todas as religiões e também não crentes, já que a ´Aleteia´ oferece recursos a todos os buscadores da verdade".

O serviço está sendo lançado em seis idiomas: português, espanhol, italiano, árabe, inglês e português.

A rede está sendo coordenada por uma equipe de 45 pessoas espalhadas por todo o mundo, entre redatores, tradutores e especialistas, e as sedes operativas ficam em Roma, Washington e Paris.

Colina destacou que a linha editorial será a da "objetividade" e que a imprensa "marrom" não terá vez na rede.

Paralelamente à "Aleteia" foi criada a "AdEthic", que reunirá publicidade específica destinada a sites católicos.

A "Aleteia" conta com um comitê editorial formado, entre outros, por Rafael Navarro Valls, catedrático da Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri, e Jaime Septien, diretor do jornal católico mexicano "El Observador en línea".

Comentários

///

Últimos downloads

///