24/12/2013 10h45

Em 2013, Brasil vira "potência" das redes sociais

Getty Images
facebook

O garoto segura a placa com os braços erguidos. "Saímos do Facebook" é a mensagem. Tirada durante os protestos de junho, foi uma das imagens mais compartilhadas daqueles dias, uma síntese do momento em que a geração digital, tão criticada por sua apatia caseira, se materializou em uma volumosa massa manifestante no asfalto.

Entre as leituras que podem ser extraídas da imagem, uma é especialmente simbólica. Diz respeito a como este endereço de internet chamado "Facebook" define a vida de cada vez mais brasileiros, que dividem seu tempo entre momentos dentro e fora da rede social.

Como acontece em boa parte dos países do mundo, o Facebook é disparado o mais acessado da categoria: segundo dados de outubro, tem 73,5% da audiência das redes sociais, totalizando 76 milhões de usuários no Brasil.

Uma pesquisa Ibope/YouPix de julho mostrou que 92% dos jovens do País que acessam a internet usaram redes sociais. Mesmo quando se leva em conta o total de pessoas que navegam na rede, de todas as idades, são 78% acessando algum tipo de rede social.

"Estamos falando de um meio que não só apresenta uma audiência massiva, como também com alta dedicação em horas do consumidor médio", diz Gabriel Borges, sócio da agência de comunicação Ampfy, que, ao lado da consultoria de pesquisa The Listening Agency, preparou um estudo de mais de 80 páginas chamado Brasil com S de Social.

Divulgado com exclusividade para o jornal O Estado de S. Paulo, o trabalho é uma radiografia detalhada dos vários aspectos do fenômeno no Brasil. Para os autores, "o brasileiro viciado em mídia social" já virou um novo símbolo nacional, "identificado com as transformações recentes no país".

"O brasileiro tem um número de amigos muito mais alto que a média global, o nível de engajamento também na plataforma é muito alto", acrescenta Leonardo Tristão, diretor-geral do Facebook no Brasil. "A média de tempo que o brasileiro gasta se engajando é mais alta que a média global."

É esse tempo gasto na rede que garantiu ao Brasil (12 horas por mês, segundo o Facebook) a segunda colocação no ranking de países do Facebook, ultrapassando a Índia, que tem um número total de usuários maior. O Brasil é também segundo colocado em usuários, atrás apenas dos Estados Unidos, do Twitter e do Facebook.

É esse tempo gasto na rede que garantiu ao Brasil (12 horas por mês, segundo a empresa) a segunda colocação no ranking de países do Facebook, ultrapassando a Índia, que tem um número total de usuários maior. O Brasil é também segundo colocado em usuários, atrás apenas dos Estados Unidos, do Twitter e do YouTube.

Capital das redes

O gosto do brasileiro pelas redes sociais já vem sendo analisado há muitos anos, ainda no tempo em que fizemos uma rede social considerada menor em outros países, o Orkut, virar campeã de audiência. Mas o tema ressurge todo ano, cada vez amparado por números mais fortes.

Comentários

///