Brasileiro cria rede para doações a instituições sociais

• quinta, 15 de agosto de 2013 - 12h15
Reprodução
Social de VerdadeA rede social foi idealizada após a tragédia na região serrana do Rio de Janeiro, em 2011

São Paulo – Em 2011, o administrador Joceir Ramos acompanhou a tragédia causada pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro, com 916 mortos e 345 desaparecidos. Enquanto lia as notícias, percebeu que, apesar da boa vontade da população em ajudar às pessoas atingidas pela catástrofe natural, o dinheiro das doações nem sempre chegavam aos seus destinatários.

“Por conta disso, comecei a pensar em uma rede social capaz de aproximar os dois lados dessa história: os doadores e as instituições”, afirmou o empreendedor que mora na cidade fluminense de Niterói e tem 41 anos.  Junto a um sócio com experiência em TI, Ramos começou a elaborar o site Social de Verdade, desenvolvido em julho de 2012 e colocado oficialmente no ar em janeiro deste ano. Até agora, a rede conta com cerca de 900 usuários cadastrados, além de 130 instituições sociais

Após realizar um cadastro no endereço, os usuários encontram uma série de instituições sociais que também utilizam a rede. Após buscar informações da entidade, é possível realizar doações por meio do PagSeguro. "Cada instituição tem uma página e ela deve postar as atividades que realiza. Caso ela não faça atualizações em até 90 dias, nós a retiramos de nosso serviço, porque esperamos a transparência dessas entidades”, disse Ramos.

De acordo com o empreendedor, o projeto foi desenvolvido como um trabalho voluntário e não como um negócio para gerar lucro. “Nenhuma doação passa por nós, o dinheiro vai diretamente para a conta da instituição. Para manter o site ativo, coloco dinheiro do meu bolso e ainda não temos nenhum tipo de receita”, afirmou.

Até agora, instituições de diferentes estados brasileiros, como Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Ceará e Goiás já realizaram cadastros no Social de Verdade. “Tenho ficado muito feliz com os feedbacks das instituições, principalmente com as entidades pequenas que não têm recursos e buscavam uma maneira de encontrar ajuda de doadores.”

Últimas notícias de Extras

///

Comentários

///