Como sobreviver ao fim do mundo

Por Vanessa Daraya, de INFO Online
• quarta, 29 de fevereiro de 2012
Adeline Daniele/INFO Online
Dr. Michio Kaku durante sua visita ao Brasil

São Paulo - “O mundo vai morrer mais rápido do que imaginávamos.” É com essa frase que o professor da Universidade de Nova York, Dr. Michio Kaku, responde para INFO a dúvida que inquieta a humanidade há milênios: o mundo vai acabar?

Em visita a São Paulo, Dr. Kaku é preciso ao prever o fim da vida no planeta Terra. Porém, não hesita em explicar que existe uma chance de salvação para todos nós. Para ele, a evolução tecnológica da nossa civilização fará com que seja possível viajar para além do Sistema Solar e habitar um novo planeta, com características semelhantes as da Terra.

Dr. Kaku, também conhecido como o físico do impossível, explica que o fim da vida na Terra é inevitável porque, ao contrário do que a comunidade científica pensava anteriormente, o universo está se expandindo muito rápido, fora do controle. “A energia escura está puxando o nosso universo”, diz.

Pela lógica, o Big Bang, a explosão que originou o universo e possibilitou o nascimento da vida no planeta Terra não cessou. Ela apenas diminuiu sua velocidade. Por isso, o universo nunca deixou de se expandir. Chegará uma hora em que a Terra ficará tão longe do Sol que não haverá luz suficiente por aqui. “Ao contrário do que se pensa, vamos morrer em gelo, não em fogo”, conta Dr. Kaku.

“Minha opinião é que, no futuro, se o universo ficar muito frio e estiver morrendo, nós vamos estar tão avançados tecnologicamente que poderemos deixar a Terra”, afirma. Parece loucura, mas Dr. Kaku se baseia numa respeitada base teórica para sustentar sua argumentação, a teoria do “Multiverso”.

De forma simplificada, Dr. Kaku explica que, de acordo com a teoria, o universo onde vivemos é como uma bolha de sabão, que está se expandido. O cientista acredita que existem outras bolhas de sabão no universo, que por sua vez dão origem a novas bolhas melhores por meio de novas explosões. “O Big Bang acontece o tempo todo no universo”, afirma Dr. Kaku.

 

Comentários

///