terça-feira, 6 de março de 2012 - 9:08

Mario e Sonic fazem papelão nos Jogos Olímpicos de Londres

Há pouco mais de quatro anos, Mario e Sonic se encontraram pela primeira vez em um jogo. A ocasião? Olimpíadas, na época, em Pequim. A parceria foi produtiva e os dois protagonistas, outrora rivais, se encontram novamente esse ano.

Mario & Sonic: at the London 2012 Olympic Games tem um título enorme e um potencial desperdiçado, pelo menos na versão para o Nintendo 3DS, que testamos aqui na INFO.

O conceito é o mesmo do primeiro jogo lançado no final de 2007: reunir a turma de Mario e do Sonic em disputas olímpicas. Esse ano a Sega quis ir um pouco mais longe e adicionar uma história para explicar porque os personagens competem nos jogos. Uma péssima ideia.

Sob o pretexto que os vilões Dr. Eggman e Bowser se unem para estragar os jogos Olímpicos (sem nenhum motivo declarado), uma névoa invade Londres evitando que a cerimônia de abertura aconteça. Então os personagens dos jogos do encanador e do ouriço precisam derrotar versões bizarras deles mesmos que aparecem em forma de névoa. Pois é, não faz muito sentido.

Nós até que não nos importamos com o fato do enredo ser bem fraquinho, o problema maior é como a Sega conseguiu tornar o modo história insuportável. Apesar das boas animações de personagens, os diálogos são longos e o tempo de espera entre um evento e outro são enormes. Isso só piora quando você passa cinco minutos conversando e menos de 10 segundos jogando.

Mas também existe a opção de jogo rápido, onde você escolhe a modalidade e joga no ato. Esse ano a Sega tentou explorar mais esportes, e de fato conseguiu. Comparado com o jogo de Pequim, esse Mario & Sonic tem muitas modalidades adicionais. Só que não é tudo assim tão lindo.

Cada modalidade esportiva é um mini-game extremamente simples, onde você dificilmente usará mais que um botão ou função ao mesmo tempo. Tiro ao alvo, por exemplo, exige apenas que você aperte o botão no momento correto. Futebol, que chute uma bola no momento em que o cruzamento chegar. Não existe profundidade em nenhum mini-game e todos são como versões adaptadas dos esportes. As jogabilidade varia entre o uso do giroscópio, tela de toque ou botões físicos do portátil.

Apesar dessa opção tornar o jogo extremamente acessível, também causa um sério problema: falta de profundidade. Para piorar, os personagens usados em cada evento são pré-determinados. Logo, você não poderá usar o seu favorito em todos. Após uma ou duas horas de jogo, você já terá experimentado quase todas as modalidades e nada te prenderá por muito tempo.

Mario & Sonic conta com visuais bonitos, muitas cores e personagens bem feitos. Só que isso acaba sendo ofuscado pela falta de diversão que os mini-games oferecem. Poucos tem desafios que valem a pena. No final das contas, os jogos de Londres são uma boa forma de entreter jogadores mais novos que não buscam dificuldades. Uma pena, nós marmanjos ficamos com água na boca de um verdadeiro jogo de olimpíadas com Mario e Sonic. Quem sabe no Rio, em 2016?

 

Categorias

Tags

Comentários

///

Fãs

///