segunda-feira, 19 de agosto de 2013 - 17:15

Rastreador de Namorado é removido da Play Store

Captura de Tela 2013-08-19 às 17.12.50

Sucesso nas últimas semanas, com mais de 100 mil downloads, o app gratuito Rastreador de Namorado foi removido da Play Store mais uma vez. A justificativa para a remoção foi a quebra de algumas das políticas da loja virtual – o app, para o Google, enviava dados pessoais sem notificar os usuários.

O aplicativo prometia ser praticamente um detetive de bolso para namoradas desconfiadas (e namorados também), dando a elas, além da localização do parceiro, o conteúdo das mensagens escritas e até o áudio de conversas. A versão inicial do programa permitia fazer isso discretamente, o que resultou na primeira exclusão. A segunda edição, no entanto, passou a emitir alertas para os espionados – o que não impediu uma nova remoção.

O app funcionava quase como um rastreador de smartphones, como o Cerberus e o Zoner Antivirus Free, e, se usado com consentimento do espionado, não se tratava de algo ilegal. Como unia funções de diferentes programas, as utilidades dele iam além do “rastreamento de namorado” -  o app podia ser útil até para monitorar crianças e encontrar um aparelho roubado, por exemplo.

Para a localização, ele utilizava apenas o GPS dos aparelhos, não havendo a necessidade de conectá-lo a nenhum tipo de rede Wi-Fi ou 3G. O Rastreador até avisava quando o Movo Avião era ativado no dispositivo monitorado. Já para interceptar mensagens e ouvir conversas, eram usados comandos por SMS. Um código mandado por texto “solicitava” os dados dos torpedos enviados (incluindo número do destinatário), enquanto outro fazia com que o aparelho espionado realizasse uma chamada de voz pra o número do “espião”.

Apesar de a antiga versão do app na Play Store estar “dentro da lei”, os desenvolvedores ainda disponibilizavam uma edição discreta, que funcionava mediante pagamento de mensalidade (R$ 4,99 ao mês). Segundo o G1, bastava enviar um e-mail de solicitação para receber uma APK do Rastreador de Namorado. Ela funcionava de forma oculta, enviado os dados dos namorados ou namoradas sem que eles soubessem. Mesmo estranho, o procedimento (mas não o monitoramento sem consentimento) não é ilegal – não há restrições para a instalação de pacotes assim nos smartphones.

Em declaração também ao G1, os desenvolvedores afirmaram que vão tentar trazer o aplicativo de volta à Play Store. Para eles, o Rastreador está dentro dos termos da loja, e essa segunda remoção não passa de um erro. E, se não obtiverem sucesso, pretendem até disponibilizar o app para download no próprio site.

Imagem de Amostra do You Tube

* Imagem: Reprodução

Categorias

Tags

Comentários

///